Abordei em um post anterior o tema sustentabilidade. Tentei explicar o seu conceito e como essa questão interferirá em nosso futuro. A ideia foi dar um primeiro passo para o entendimento do assunto. Agora quero dar mais um passo e mostrar o que vem a ser uma residência sustentável.
Uma residência sustentável deve atender três aspectos: econômico, social e ambiental.

Para uma residência ser sustentável ela deve ser economicamente viável para o seu morador, permitindo que sua manutenção tenha um custo baixo e que pela existência dos itens de sustentabilidade o preço de revenda seja maior que um imóvel convencional.

Deve ser também socialmente justa. Nesse caso a proposta é permitir que haja condições de oferecer conforto ambiental, funcional e que preserve a saúde mental e física dos seus moradores e vizinhos. A ideia se baseia na busca das melhores condições resultantes do processo construtivo e do produto final para os envolvidos nessa residência, o que vai desde a escolha dos materiais escolhidos de forma a ter o menor impacto ambiental, à contratação de operários na vizinhança mais próxima e o menor transtorno dessa construção para seus vizinhos.

E, por último, terá de ser ecologicamente correta. Uma residência consome recursos naturais tais como água, energia elétrica e gás, e produz resíduos como lixo, óleo de cozinha e esgoto domiciliar. Em ambos os caso gera impacto negativo no meio ambiente, sendo que no segundo deixa um passivo ambiental de difícil solução. Você sabe como plantar orquideas? Esse blog ao lado é muito indicado para você entender!

Parece normal achar que a nossa casa deva oferecer tudo aquilo que nós precisamos, afinal é o nosso lar, nosso lugar de conforto e segurança, mas na prática há um custo alto a ser pago por essa situação.

Devemos, por isso mesmo, repensar nossas necessidades versus o custo futuro desses hábitos. Sem que haja perda da qualidade de vida, as residências sustentáveis servirão para que os seus moradores revejam suas atitudes no dia-a-dia e se conscientizem da importância dessa nova forma de viver.

São vários os fatores que podem influenciar nisso. Uma forma de testarmos nossa atenção com atitudes do dia-a-dia é acessar o site WWF/casa eficiente consumo consciente, que dá uma ideia de como começar a ter atitudes sustentáveis em nossos lares.

Em cada cômodo da residência o personagem do jogo dá dicas e mostra coisas simples que podemos fazer para economizar, contribuindo para o meio ambiente e obtendo qualidade de vida no lar.

É possível que muitas pessoas já adotem algumas dessas práticas no seu cotidiano sem imaginar que estão tendo atitudes sustentáveis.
Utilizar a água e a energia elétrica de maneira consciente, sem desperdício, reciclar o lixo e reaproveitar materiais é a maneira mais simples de começar a adotar a sustentabilidade em casa.

Mas não é só isso. Falaremos mais do assunto em outros posts.